5 momentos marcantes de Teahupoo no século XXI que todo surfista deveria conhecer.

Teahupoo, Tchopo, Chopes, são vários nomes que a lendária bancada da Polinésia Francesa, palco de uma das mais icônicas etapas do Mundial de Surf (WSL), o TAHITI PRO, é chamada. Mas apesar de provavelmente você já conhecer a onda super potente e perigosa do Tahiti, será que você conhece sua história no surf? O Canal Surf Storm relembra e lista alguns dos momentos mais marcantes da história recente de Teahupoo, palco desta 7ª etapa do mundial.


1- "The Shotgun Claim" - Andy Irons (2006)



Andy Irons (R.I.P.) é uma das maiores lendas da história do surf. Marcado pela competitividade, acredita-se que levou o surf e sua rivalidade com Kelly Slater à outro patamar ao longo dos anos 2000.

Andy, além de muito competitivo e ótimo surfista, era conhecido como "Filho de Teahupoo", devido à facilidade que parecia que ele surfava aquela onda monstruosa.

Pois bem, em um dos momentos mais marcantes de toda sua carreira, depois de sair na baforada de um segundo tubo ao longo da bateria contra Dean Morrison, Andy apontou uma "espingarda imaginária" para o oponente e "disparou" 4 tiros em sua direção. O "claim" é conhecido como um dos mais marcantes da história recente do surf, e ilustra a competitividade que AI levava a cada bateria. Apesar das boas ondas e comemoração, ele perdeu a bateria, mas certamente o momento ficou eternizado em Tchopo.


2- "The freefall drop" - Andy Irons (2007)


Andy Irons de novo? Pois é, não é a toa que ele é conhecido como o "filho de Teahupoo". Numa das ondas mais marcantes da carreira da lenda, em 2010, em um mar desafiador, Andy dropou uma onda gigante do ponto mais crítico em Teahupoo simplesmente pelo propósito de não deixar seu irmão Bruce ficar com o mérito.

“Eu estava congelado de medo. Eu pensei que literalmente ia morrer! Meu irmão estava lá e ele estava indo na onda, essa foi a única razão que fez eu dropar, para não deixar ele ficar com a glória. Eu preferiria rodar com o lip daquela onda, cair de cabeça no reef e me arrebentar, do que deixar completar aquele tubo, conseguir a foto, as capas, e todo mundo falando sobre ele, achando que ele é legal. Então eu remei pra o drop, meu irmão viu eu encaixando na onda e ele sabia que eu estava indo para o tudo ou nada e falou ‘é melhor você ir seu $#%!’. Então eu segurei a borda da prancha e travei de medo. A água estava tão azul que eu vi a bancada logo ali, a onda sugou e eu perdi o controle da rabeta. Ali eu queria pular fora mas eu estava com tanto medo que meu braço estava travado, e foi então que a onda me agarrou e me cuspiu…” – Andy Irons . (Link da onda e entrevista)


3- Swell Code Red (2011)



Em agosto de 2011 o Tahiti Pro recebia dayoff pela WSL devido ao mar estar grande demais na região. Além disso, a ondulação gigantesca que chegava ao país fez o governo Taitiano emitir um aviso de "código vermelho" proibindo embarcações de navegar.


Apesar das grandes ondulações, big riders casca grossa do mundo ouviam o "code red" como um convite para desafiar (a já desafiadora) temida bancada de Teahupoo, que quebrou perfeita e gigante.


O dia foi marcado por tubos e vacas das mais impressionantes. Certamente é uma das sessões de surf que ficará marcada na história. Confiram um vídeo compilado de grandes momentos da sessão "code red".


4- Gabriel Medina x Kelly Slater (2014)


A etapa de Teahupoo de 2014 é um marco na história recente do surf, principalmente para nós brasileiros. É bem provável que Teahupoo tenha diversos outros momentos marcantes em sua história, mas selecionamos esse justamente por marcar o duelo de uma geração. Para quem gosta de futebol, seria algo semelhante àquele "Santos x Flamengo" com Neymar x Ronaldinho jogando em alto nível, só que nesse caso, a bateria marcante foi a final entre a lenda Kelly Slater e o jovem promissor Gabriel Medina..


Uma bateria alucinante, com altas ondas rolando e uma disputa em alto nível onde Gabriel Medina trocou de patamar ao vencer um Kelly que ainda estava super competitivo, No final, deu Medina tanto no Tahiti como no Mundial, em uma das etapas mais marcantes daquele título inédito para o Brasil.


5- Kelly Slater quase perfeito (2016)

Por uma razão semelhante à "troca de bastão" marcante que foi a final contra Gabriel Medina em 2014, considero Kelly Slater vencendo Teahupoo em 2016 como um dos melhores momentos da etapa. Para quem lembra, com ondas de ótima qualidade (5 a 7 pés), Kelly fez seu último ano (até agora) em alto nível e levou indiscutivelmente a etapa de Teahupoo pela quinta vez na história. Distribuindo notas 10, com uma bateria perfeita (2 notas 10) no inicio do campeonato, outro 10 nas quarta de final e fazendo uma combinação de 19,67 na final contra John John Florence, Kelly nos deu o seu espetáculo no Tahiti de forma memorável e que certamente deixará saudades do "mestre dos magos". Vale lembrar que John John era outro surfista que estava se agigantando no ano de 2016, tanto que levou o seu primeiro título mundial no fim do ano.


Teahupoo nos deu muitos momentos marcantes, certamente houveram outros não apontados aqui e também haverão novos momentos incríveis nessa onda nos próximos anos. Esperemos que ao menos voltemos à ter uma Teahupoo digna de seus apelidos assustadores e que nos dê mais adrenalina e surf de qualidade do que vem oferecendo nos últimos 2 anos de etapa. Que vença o melhor em 2018, e que o bom surf prevaleça.


- João Pedro Braga - Canal Surf Storm.

88 visualizações
Untitled

 Canal Surf Storm ©2020

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon