Big Wave Awards Brasil anuncia inclusão da categoria "bodysurf" após mobilização nas redes sociais

O Extreme Boardriders 2020 vai para a sua 3ª edição e pela primeira vez premiará também o "bodysurf" ou, como também é conhecido, surf de peito. A modalidade se junta ao surf, tow-in, sup, kitesurf e bodyboard como as categorias premiadas.

Foto: @jpdbraga

Não faz nem uma semana que o Prêmio Brasileiro de Ondas Grandes foi oficialmente anunciado e uma mobilização do público já fez a organização adicionar uma categoria inédita: O Surf de Peito.

Redes sociais da organização foram "tomadas" por pedidos de inclusão da categoria.

Após a divulgação oficial, as publicações sobre o prêmio foram "invadidas" por dezenas de usuários (praticantes e simpatizantes do bodysurf) sugerindo que o prêmio, que é caracterizado como o "mais democrático do esporte", adicionasse a categoria mais democrática do surf. E 5 dias depois, os inúmeros pedidos foram atendidos pela organização, que adicionou a categoria "Bodysurf" ao prêmio e irá eleger a onda "mais impactante do ano", ou seja, a maior e mais bem surfada entre a modalidade.

"Após recebermos todas aquelas mensagens e vermos toda a mobilização, decidimos acrescentar a categoria."
O bodysurf, que é uma das primeiras formas de "pegar onda", é super bem-vindo, queremos que as tribos se unam, não importa se você é da pranchinha, do tow-in, do bodyboard, a ideia desse prêmio é juntar todo mundo que pega onda e celebrar o surf. Conto com todos e espero que a galera do surfe de peito participe, se inscreva, pois isso que vai solidificar e manter a categoria também para os próximos anos. Todos podem se inscrever." - disse Eraldo Gueiros, um dos organizadores do evento, que ainda nos contou em primeira mão que os 50 primeiros inscritos vão ganhar um brinde da parceira do evento Kona Brewing.
Bodysurfers do Rio encaram "Laje da Besta" com ondas de até 3 metros em swell. | Foto: Fernando Amorim

O movimento do "surf de peito", modalidade também conhecida popularmente como "jacaré", e em inglês "bodysurf", vem ganhando cada vez mais notoriedade no surf nacional. O bodysurfer carioca JC Rodrigues foi um dos lideres da mobilização que rolou nas redes sociais para a inclusão da modalidade no prêmio e nos contou como começou:

JC Rodrigues | Foto: Fernando Amorim
"Após o anúncio das categorias, a galera que pratica começou a perguntar entre si "E porque não o bodysurf"? Então houve essa mobilização geral entre os praticantes, de diversos estados, não só do RJ. O surfe de peito é muito carente de campeonatos, é difícil vermos patrocinadores investindo no esporte e ficamos muito felizes de ter ganho esse espaço nesse prêmio tão importante, junto com outras modalidades, todas unidas, com o mesmo objetivo de celebrar o esporte. Existe uma atualização do "jacaré" para o que hoje é conhecido como o bodysurf. É uma oportunidade de mostrarmos como a modalidade evoluiu, hoje em dia o surfe de peito está presente em todos os swells e em vários picos Brasil a fora. Então agradeço a organização do prêmio, em nome do todos do bodysurf brasileiro pela oportunidade."

O prêmio mais democrático de surf do país não podia deixar de fora a modalidade mais inclusiva do esporte. Nota 10 para a organização pela decisão e o surf de peito agradece. Como dizem os praticantes: #ÉoPeito


Lembrando que a janela para inscrição ao prêmio segue aberta, e os vídeos e fotos das ondas (de todas as categorias) devem ser enviados até o dia 10 de novembro de 2020. Para concorrer, as ondas devem ter sido surfadas entre os dias 20/10/2019 e o dia 10/11/2020. Para conferir mais detalhes do regulamento do evento clique aqui. (O regulamento incluindo os critérios e regras para a categoria surfe de peito serão atualizados ainda esta semana).


Para realizar as inscrições, basta acessar esse link.


Esperamos ansiosos pela premiação que já está dando o que falar!

Untitled

 Canal Surf Storm ©2020

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon