Tudo pronto para o inicio do Circuito Mundial de Surf 2022, que começa neste sábado em Pipeline

A temporada da Liga Mundial de Surf começa com algumas ausências e novidades com a janela de competições aberta no Hawaii a partir deste sábado para a etapa em Pipeline que dá início a temporada 2022 do CT

A abstinência do surfe competição finalmente chegou ao fim! Neste sábado a janela de Pipeline estará aberta e, os melhores surfistas do mundo entrarão em ação novamente na concorrida e famosa bancada havaiana.


Mas será que os melhores estarão presentes mesmo?

E este inicio de ano teve logo uma bomba antes mesmo dos surfistas entrarem na água! Faltando 1 semana para a abertura da janela em Pipeline, Gabriel Medina, atual campeão mundial, comunicou através de postagem em seu Instagram, que não irá competir na primeira etapa da temporada.


O tricampeão mundial alegou problemas de saúde mental, após um ano bastante intenso, com confusões familiares, polêmicas nas olimpíadas e, recentemente, foi a público o fim do seu casamento com a modelo Yasmin Brunet. Medina também alegou estar com uma pequena lesão no quadril.


É uma ausência muito sentida, em uma etapa em que o brasileiro já fez a final cinco vezes e já venceu duas. Muito se fala que o tricampeão não apenas ficará ausente desta etapa e pode tirar um ano sabático, ficando fora da temporada inteira. Faz sentido, considerando que após conquistar seu tricampeonato em Trestles no ano passado, ele já havia comentado que talvez fosse o momento de dar uma pausa. Caio Ibelli será o substituto de Gabriel na etapa.


Além de Medina, a etapa de Pipeline também não contará com o nome de peso do australiano Julian Wilson, que fez final com o brasileiro duas vezes por lá, ganhando uma delas.


Outro brasileiro que não competirá em Pipeline, será Yago Dora, que sofreu uma fratura no pé no final do ano passado e passou por uma cirurgia.


Estreias no CT 2022


O início de temporada é marcado também pelas estreias dos surfistas que tiveram acesso pelo Challenger Series ano passado.

Pelo lado dos brazucas, os estreantes são o carioca João Chianca, o Chumbinho, e o paulista Samuel Pupo. Os surfistas da nova geração do brazilian storm tem logo de cara um grande desafio encarando as ondas tubulares pesadas de pipeline e backdoor. João ,que é residente de Saquarema (RJ), é acostumado aos tubos e pode surpreender.


Além dos brasileiros, a América do Sul também contará com a presença do primeiro peruano a fazer parte da elite da Liga Mundial de Surf: Lucca Mesinas. Ele contará com a companhia do compatriota Miguel Tudela, experiente nas ondas havaianas, que foi um dos convidados da patrocinadora do evento


Pelo lado dos aussies, os estreantes no CT, serão: Jackson Baker, Liam O`Brien e Callum Ronson.


O americano Jack Marshall também estreia na elite do surf, juntamente com Nat Young, que nesse caso é uma reestreia, já que já participou da liga anteriormente.


Os havaianos, donos da casa, também podem se orgulhar de terem estreantes, como é o caso de Imaikalani Devault e de Ezekial Lau, esse último que que também já participou do circuito.


O costa-riquenho Carlos Munoz também é outro estreante.


Do lado feminino, as estreantes são as australianas India Robinson e Molly Picklum, e as havaianas Luana Silva, Gabriela Bryan e Bettylou Sakura-Johsonn.


Favoritos para a etapa

Masculino

Com a ausência de Medina, sem dúvida o primeiro nome que vem à cabeça é do havainao John John Florence. O bicampeão mundial venceu o evento de 2020, sua primeira vitória no quintal de casa, além de já ter feito duas finais. Recentemente, em dezembro de 2021, venceu a etapa válida pelo QS.


O veterano americano e onze vezes campeão, Kelly Slater, é outro que nunca pode ser descartado quando se trata de Pipeline. Ele já venceu 7 vezes a etapa e sempre marca presença nas fases finais do evento.


Pelo lado dos brasileiros, o destaque fica por conta de Ítalo Ferreira, que evolui muito seu surfe em ondas tubulares, inclusive ganhando a etapa de Pipeline em 2019 contra Gabriel Medina, se sagrando campeão mundial.


O australiano Jack Robinson, que já venceu o evento pelo QS e também a triagem para o evento principal, é outro que devemos ficar de olho. O australiano é natural da região de Margaret River, acostumado às bombas de The Box e um exímio “tube rider”.


Feminino

Pelo feminino, que competirá a etapa inteira dessa vez, pois em 2020 a etapa começou em Maui e foi transferida para Pipeline, podemos destacar a australiana Tyler Wright, que venceu a primeira etapa surfada por lá pelas mulheres.


A havaiana Carissa Moore, que fez a final com Tyler, vai muito bem em ondas tubulares e também pode ser considerada uma das candidatas a vencer a etapa.


Tatiana Weston- Webb também pode dar trabalho, devido sua experiência nas ondas havaianas e por não ter medo de encarar ondas grandes e pesadas, que são seu ponto forte. Tati fez quartas de final em 2020.


Previsão de ondas para o inicio da etapa em Pipeline


A previsão de ondas para a janela da competição que se inicia no dia 29 de janeiro e vai até 10 de fevereiro, promete! Logo nos primeiros dias da janela é previsto um swell que proporcionará ondas de 1,5 a 2,5 metros com ventos favoráveis. Sendo sábado (29), terça (01/02) e quarta (02/02) os melhores dias.


Baterias:


Masculino

1 - Jordy Smith x Owen Wright x Ezekiel Lau

2- Griffin Colapinto x Liam O´Brien x Matthew McGillivray

3- Morgan Cibilic x Connor O´Leary x Caio Ibelli

4- Conner Coffiin x Jake Marshall x Barron Mamyia

5- Italo Ferreira x Callum Robson x Miguel Tudela

6- Filipe Toledo x Samuel Pupo x Ivan Florence

7- Kanoa Igarashi x Seth Moniz x Carlos Munoz

8- Frederico Morais x Miguel Pupo x Jackson Baker

9- John John Florence x Jadson André x João Chianca

10- Jack Robinson x Kelly Slater x Lucca Mesinas

11- Kolohe Andino x Ethan Ewing x Imaikalani Devault

12- Leonardo Fioravanti x Deivid Silva x Nat Young


Feminino


1- Sally Fitzgibbons x Courtney Conlogu x Molly Picklum

2- Tatiana Weston-Webb x Gabriela Bryan x Malia Manuel

3- Carissa Moore x Brisa Hennessy x Moana Jones Wong

4- Johanne Defay x Isabella Nichols x Luana Silva

5- Stephanie Gilmore x Tyler Wright x India Robinson

6 - Caroline Marks x Lakey Peterson x Bettylou Sakura Johnson


63 visualizações