Equipe brasileira de surf não irá à seletiva das Olimpíadas devido a erro da Confederação (CBSurf)

Brasileiros que conquistaram o direito de participar da seletiva e já estavam de malas prontas, foram informados por mensagem que não iriam embarcar devido à CBSurf não conseguir em tempo ábil viabilizar os documentos e vistos para a viagem.

Entre os dias 15 a 22 de outubro ocorrerá o campeonato “ISA World Surfing Games 2018”, seletiva das olimpíadas no Japão que dará vaga no Pan Americano em Lima (2019), este que dará uma vaga no feminino e outra no masculino para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.


Com isso, a delegação brasileira com 6 representantes (3 masculinos e 3 femininos) já estava com tudo planejado para participar da competição e ver seu sonho de representar o surf brasileiro nas Olimpíadas nascer.. não foi o que aconteceu.

Simplesmente a CBSurf, comunicou na última quarta-feira, via mensagem de celular, que a delegação brasileira não iria mais participar da competição no Japão, devido à problemas com a documentação, emissão de passagens e retirada de visto para os atletas em tempo hábil. Segundo o presidente Adalvo Argolo, a agência responsável por providenciar as passagens para o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), apenas conseguiu vôos com conexão nos Estados Unidos, e vários integrantes da equipe não tinham o visto norte-americano e a viagem se tornou inviável. (Confira a imagem ao lado)



A questão é, os atletas já haviam se planejado para a competição, investiram em equipamento, transporte, retirada de visto e deixaram de participar de outras competições para participar do ISA, o que simplesmente não vai ocorrer devido à erro de planejamento da CBSurf.

O caso causou revolta no mundo do surf e diversos grandes surfistas brasileiros (Filipe Toledo, Adriano de Souza, Ian Gouveia, Taís Almeida, entre outros) se posicionaram contra a incompetência da Confederação nas redes sociais, onde até um abaixo assinado já circula para renovação da gestão da Confederação Brasileira de Surf (CBSurf). Larisssa Pereira, Francisca Gilvanita (imagem ao lado), Anne dos Santos, Marcos Corrêa Amaro, Geovane Caiçara e Ian Gouveia são os atletas que formariam a delegação brasileira e estão inconformados com a situação.


- Realmente frustrado com essa situação de estar prestes a representar o Brasil no Mundial da Isa, em pleno ciclo olímpico, e não rolar. Realmente é uma tristeza para o Brasil e para o surfe a maior potência mundial do surfe não estar indo para o campeonato. Eu já tinha me preparado, estava pronto para ir, tinha visto, tinha tudo - disse Ian Gouveia em entrevista ao Globoesporte.

Sobre o caminho olímpico, a CBSurf afirma que o cancelamento da ida ao Mundial não compromete o cronograma do Time Brasil:

- Não compromete em nada o cronograma olímpico de forma alguma. As vagas para a Olimpíada só serão definidas a partir de 2019. Provavelmente o Brasil classifique os atletas pelo Circuito Mundial de Surfe (WCT), que é a prioridade. Então os dois melhores brasileiros no WCT e as duas mulheres também pelo WCT. Então certamente o Brasil classifica os quatro atletas pelo WCT - disse Adalvo ao Globoesporte.

O erro não passou despercebido, até quando vamos sofrer com a incompetência de gestores no país? A pressão por mudanças no planejamento é forte, o surf tem um momento único no mundo, com a oportunidade de participar das Olimpíadas, e o Brasil, potência mundial no esporte, não pode ficar de fora por incompetência e erro de planejamento. Se você achou o erro grave e acha que os atletas e o esporte merecem mais do que a gestão atual da Confederação Brasileira de Surf, participe do abaixo assinado por mudanças.


-> Clique aqui para acessar o abaixo assinado.


- João Pedro Braga, Canal Surf Storm.

Fontes: Globoesporte.com; @surf100comentários; @givaniladapferreiraatleta

102 visualizações
Untitled

 Canal Surf Storm ©2020

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon