Jeremy Flores vence em casa e Ítalo Ferreira fica em segundo

O surfista francês fez história ao ser o primeiro a vencer uma etapa em Hossegor, enquanto Ítalo reviveu a briga pelo título após fazer um ótimo resultado e chegar à 4º no ranking do Circuito Mundial de Surf

Nessa sexta-feira (11) rolou o último dia de competição em Hossegor, na França, a 9ª etapa da temporada da Liga Mundial de Surf.

O francês Jeremy Flores, finalmente conseguiu a tão esperada vitória em casa e com todos os méritos, já que foi o surfista que mais se adaptou as condições difíceis do mar durante a janela do campeonato. Flores teve uma leitura excelente das ondas, e soube encontrar os melhores dos tubos nas baterias, apenas confirmando o que os vídeos do freesurf mostraram antes da competição começar.

Na final, como de praxe, havia um brasileiro, e dessa vez, quem estava presente era Ítalo Ferreira. Das nove etapas disputas até aqui, apenas em duas não tivemos brasileiros na final. O potiguar usou principalmente de suas rasgadas e batidas no “free fall” (queda livre) e pegou alguns bons tubos para chegar à decisão. Mas, não tinha como tirar o troféu do inspirado Jeremy Flores que na primeira onda da decisão pegou um tubo nota 9,63, maior nota do campeonato.


Ítalo que estava na quinta posição do ranking, pulou para a quarta e conquistou pontos importantes para a briga do título mundial, e ainda, considerando os descartes dos piores resultados, já figura na terceira posição, atrás do ainda líder Gabriel Medina e de Filipe Toledo, o vice:

Ranking do CT atualizado após a etapa de Hossegor

Falando em Filipinho, ele deu mostras que ainda está sentindo a lesão nas costas que o incomodou no Surf Ranch. No 1º round da competição ele abandonou a prova faltando 10 minutos para o fim devido às dores, apesar disso, conseguiu avançar para a próxima fase, mas não adiantou muito.. Filipe Toledo foi eliminado do campeonato ainda no round 32 pelo local e convidado, o francês Marc Lacomare, amargando a 17ª colocação na etapa.

Já o líder do ranking, Gabriel Medina, sofreu com as condições do mar e não conseguiu se encontrar e imprimir aquele ritmo avassalador que costuma ter em terras francesas, sendo eliminado nas oitavas pelo australiano Adrian Bunchan e ficando com a 9ª colocação, pior resultado de Gabriel Medina na história da etapa. Além disso, perdeu uma boa oportunidade de se distanciar ainda mais de seus concorrentes ao título, que também não tiveram um bom desempenho.


Os demais brasileiros tiveram pouco brilho nessa etapa. Yago Dora ainda conseguiu uma nona posição depois de ser eliminado pelo americano Kolohe Andino, outro aspirante ao título que conquistou pontos importantes, mas por sorte, Ítalo Ferreira estava lá para pará-lo nas quartas de final e não deixar encostar muito na ponta do ranking.


Caio Ibelli, Michael Rodrigues, Peterson Crisanto e Jessé Mendes, estão fora da zona de classificação para a elite do ano que vêm e precisam de bons resultados daqui para frente, ou no CT, ou na temporada havaiana do QS.


A próxima etapa, em Portugal, está logo aí. A janela começa a partir dessa quarta-feira, dia 16, e esperamos que finalmente Peniche proporcione boas ondas como sabemos que tem potencial para tal, e o pico honre o nome de Supertubos. Lembrando que os brasileiros que estão na disputa pelo título, possuem um bom histórico nessa etapa. Medina, Filipe e Ítalo, já venceram por lá e tem tudo para outro bom resultado.


E ai, será que alguém ainda consegue tirar o título do Brasil ?

.

.

.

.

Autor: Ricardo Roldan

Resenha do Surf

72 visualizações
Untitled

 Canal Surf Storm ©2020

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon