Resenha do Surf comenta - CT Hossegor, França

Terminada a etapa da França, e aconteceu o que temíamos: Julian Wilson venceu, e diminui a diferença para os brasileiros Filipe Toledo e Gabriel Medina. Com 3 brasileiros no TOP 5, a disputa para o título de 2018 ganha emoção para seus capítulos finais.

Após a (contestada) vitória do australiano, a briga pelo título ficou acirrada entre Filipe Toledo, Gabriel Medina e Julian Wilson. Tudo pode acontecer, já que agora são 4645 pontos do primeiro para o terceiro colocado. Lembram-se no texto "pré etapa", onde falei que ainda não podíamos descartar o australiano?


Pois bem, além da vitória de Julian Wilson, outra mudança foi na primeira posição do ranking, onde Medina agora é o novo dono da lycra amarela de líder. Depois da eliminação precoce de Filipe Toledo no round 3, para o destaque do campeonato, o aussie Ryan Callinan, que ficou em segundo lugar na competição e fez o maior somatório da etapa, Toledo não resistiu à mais um "bom" desempenho de Medina, que continuou com ótimo retrospecto na França. Contra o novato australiano, Toledo fez o que pode, desferindo batidas verticais de backside com muita pressão, jogando água para tudo quanto é lado, e sofreu a virada mesmo tendo tirado uma nota 9. Foi uma bateria acirrada, que poderia ir para qualquer lado. Faz parte, isso é o surf.


Pois bem, agora Filipe está 320 pontos atrás de Medina. Um empate técnico, e se fossem considerados os dois descartes de piores resultados, Toledo ficaria ainda na frente. Porém na minha visão, descartes devem ser considerados apenas na última etapa, pois não sabemos o que vai acontecer em Portugal, por exemplo.

Gabriel Medina, apesar do bom resultado final, não teve aquele brilho natural de suas apresentações, e fez o suficiente para avançar suas baterias, até ser eliminado na semifinal pelo vencedor da etapa Julian Wilson. A bateria entre os dois também foi muito acirrada, sendo a melhor do brasileiro no evento. Muita polêmica foi criada a respeito das notas, mas acho que no geral, Julian venceu, mesmo que a onda de dois aéreos de Medina tenha sido mal julgada. Poderia ter uma nota maior, mas não o suficiente para virar a bateria, e Julian realizou um aéreo incrível de backside, full rotation, muito alto e caindo no flat, conquistando o único 10 do evento. Não acho que era essa a nota, mas ficaria bem próximo disso, e também não mudaria o resultado final.


Em relação aos outros brasileiros e notas da etapa, essas sim tiveram erros grotescos nas notas e eliminações, com influência direta dos juízes da WSL. Muitas notas questionáveis nesse evento, principalmente nas baterias de Ítalo Ferreira, Tomas Hermes e Ian Gouveia, que foram muito prejudicados! Tomas e Ian estão brigando para permanecer na elite, e Ítalo brigava para continuar na luta pelo título. Ítalo teve uma onda terrivelmente julgada, depois de um bom tubo, uma rasgada e uma finalização na junção, e foi eliminado por Matt Wilkinson.


Tomas foi eliminado por Ezekiel Lau, depois que o havaiano pegou um bom tubo é verdade, mas não o suficiente para a virada. E detalhe, depois do tubo o havaiano saindo gritando como se fosse o novo campeão mundial. E Ian foi prejudicado duas vezes, no primeiro round contra Ace Buchan, e no terceiro contra Jordy Smith.

O favorecimento e insatisfação dos atletas foi tanto, que Ian Gouveia no 2º round (repescagem), até comemorou uma boa onda fazendo o símbolo do árbitro de vídeo (VAR), sugerindo que os juízes deveriam analisar melhor as notas das ondas. De nada adiantou, já que foi novamente prejudicado no round seguinte.


Enfim, apesar de mais uma vez termos os brazucas prejudicados, um desempenho positivo de um brasileiro que veio a se destacar nesse campeonato, foi Adriano de Souza, conseguindo um bom quinto lugar, e praticamente garantindo sua permanência na elite. Mineiro parece ter voltado à sua velha forma técnica!


Agora a próxima parada é Portugal, onde muita coisa pode se definir e onde matematicamente Gabriel Medina já pode ser compeão antecipadamente, com uma combinação de resultados bem improváveis. De qualquer forma, esperamos mais uma boa briga nas baterias e novamente um brasileiro no lugar mais alto do pódio!


Autor: Ricardo Roldan - @resenhadosurf_

25 visualizações
Untitled

 Canal Surf Storm ©2020

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon