SURF NA ESTRADA - DICAS E ROTEIROS PARA SURFTRIPS - FLORIANÓPOLIS

A ilha de Florianópolis é CERTAMENTE um dos melhores destinos de surf do país. Isso porque a ilha é muito constante em relação à ondas por ter praias que recebem swells de praticamente todas as direções e são protegidas por quase todas as direções de vento. Essa coluna busca dar os mínimos detalhes e ser o roteiro mais completo que você vai encontrar na internet para uma surftrip alucinante! Então se liga nas nossas dicas pra você planejar a sua Surf Trip pra ilha do melhor jeito possívelr!

A ilha de Florianópolis fica no estado de Santa Catarina, na região Sul do país. O estado é famoso por praias belíssimas que rendem altas ondas durante todo o ano em todo o seu litoral. O sul do estado conta com alguns picos famosos como Guarda do Embaú, Silveira, Ferrugem, Rosa, Cardoso, entre outras dezenas de opções ao longo do caminho. Já o litoral norte, conta com opções como Itapoá, Tijucas, Mariscas e Bombas. Apesar do foco do roteiro ser a ilha de Floripa, fica a dica para quem tiver mais tempo e gostar de explorar um pouco mais do litoral de SC. Quem sabe em breve não fazemos essa trip e lançamos também um roteiro para esses destinos?


Enfim, voltando a falar da ilha de Florianópolis, ela fica situada mais na região central do estado e tem um total de 42 praias:


Rola onda o ano inteiro, mas a melhor época para o surf é a temporada Outono/Inverno, entre Maio e Setembro. Uma dica importante, é que em SC como um todo, geralmente rola uma proibição de surf entre os meses de Maio a Julho, onda apenas algumas praias ficam liberadas para o surf, mas da pra se dar bem, já que nossa estadia por lá foi no mês de maio e pegamos ALTAS ONDAS como podem ver no vídeo aqui acima. Mas apesar de rolar altas (certeza que vai se dar bem), tende a ficar mais crowdeado e você ainda corre o risco de não possa surfar em todos os spots da ilha.


Vamos agora falar mais detalhes da praias boas pro surf na ilha. Florianópolis pode ser dividida em 3 regiões principais quando falamos de surf: Norte, Leste e Sul e vamos falar das melhores praias de cada uma delas.

Mapa de Florianópolis. Fonte: Site Adrenalina

Surf nas praias da Região Norte de Florianópolis

O Norte da Ilha, que é o mais urbanizado e menos constante pro surf, é famoso principalmente pelas orlas e praias como Jurerê Internacional, por exemplo, famosa pela ostentação. Falando do que importa (o surf), destacamos praias como Brava, Ingleses, Lagoinha e Santinho. O litoral norte costuma receber melhor ondulações de norte, leste e nordeste e os melhores ventos são predominantemente do quadrante Sul e Oeste (vento norte geralmente é maral).

Na trip que fizemos para essa matéria, em maio/2019, confesso que não visitamos o norte, pois estava muito clássico nas demais regiões, mas dependendo da ondulação e se estiver funcionando, vale o confere! Então se liga na dica:


1. Surf - Praia Brava

Um dos picos mais conhecidos e procurados da ilha, pode ser considerado o melhor do norte de Floripa. Com uma onda curta e forte, é muito constante, ainda mais comparando com as demais da região. É um beach-break que pode quebrar ondas de até 2,5m, funcionando com várias ondulações e ventos ( o que justifica a constância). Mas o que faz a Brava ser tão procurada e um dos melhores picos de surf de Florianópolis é o swell de leste e o vento terral de oeste, que com o fundo certo fazem valas animais com altos tubos pela praia, como o da foto ao lado. Como a praia tem fácil acesso (carro ou ônibus), o crowd é intenso.


2. Surf - Praia dos Ingleses

A Praia dos Ingleses não é muito constante. Não chega a ter baixa constância como picos como a Lagoinha do Norte, mas perde para os vizinhos Brava e Santinho. Ainda assim, é um dos melhores picos de surf de Florianópolis. O pico é muito bom para surfistas de todas as experiências, ou seja, nos dias pequenos é excelente para quem está iniciando no esporte. O fundo aguenta ondas que podem chegar até 2 metros, então nos dias maiores e com as condições certas, swells de norte, leste e nordeste e ventos terrais opostos sul, oeste e sudoeste pode ter altas ondas. A praia é um beach break (fundo todo de areia) e é uma onda rápida e potente que quebra para os dois lados.


3. Surf - Praia da Lagoinha do Norte/Lambe Lambe

A Praia da Lagoinha do norte, popularmente como Lambe-lambe, é muito pouco constante, e geralmente parece uma lagoa. Mas quando entra um swell com tamanho de leste, com vento fraco ou terral de sul/sudoeste, o pico pode ficar épico quando funciona, com longas direitas que se conectam desde o point-break até o no meio da praia.


Nesses dias, com certeza o lambe-lambe pode ser considerado um dos melhores picos de surf de Florianópolis. Por ser um point-break muito perto de pedras, não é recomendado para surfistas iniciantes. É um destino muito procurado, especialmente no verão, portanto, apesar da certeza de diversão, prepare-se para o crowd.


4. Surf - Santinho

Alguns surfistas consideram a praia do Santinho a melhor praia do norte da Ilha de Santa Catarina. Além de ser muito constante, a praia tem um fácil acesso por carro (o que faz o crowd ser comum por lá) e rola algum localismo. Com ondas que variam de 1 a 8 pés nos dias grandes, recebe ondulação dos dois quadrantes, de sul e de leste, com ventos terrais na praia de norte a sudoeste. A formação das ondas são muito boas para os dois lados e formam uma onda potente e nas condições certas tubular. Com certeza vale a visita pra conhecer o pico.


Surf nas praias da Região Leste de Florianópolis

Fotos: Douglas Cominski / Claudio Medeiros

Chegando no leste de Floripa, já começamos a sentir o verdadeiro clima de surf na "Ilha da Magia", com um toque mais "roots" e um maior contato com a natureza. A região abriga algumas das praias mais famosas de surf do país, como a Praia da Joaquina (ex palco do WCT/WQS), Praia Mole, Barra da Lagoa, entre outras que quebram ALTAS ondas!

O litoral leste recebe melhor ondulações dos quadrantes leste e sul, e o melhor vento, no geral, predomina no quadrante oeste e norte (vento leste é maral e sul a Barra da Lagoa fica protegida pela pedra). Na trip que fizemos para essa matéria, em maio/2019, ficamos parte dos dias hospedados entre a Praia Mole e a Barra da Lagoa e pegamos ALTAS ondas em todas as praias da região. Inclusive, todas as fotos de ondas acima foram tiradas durante a na nossa trip, por fotógrafos locais que conhecemos na ilha! Então se liga nas dicas pra se dar bem na região leste de Floripa:


1. Surf - Praia da Joaquina

A emblemática praia da Joaquina com certeza é o pico de surf mais famoso de toda Florianópolis e um dos mais famosos do Brasil. A praia foi palco do Mundial de Surf (WCT) durante muitos anos, na década de 70 e registrou momentos épicos naquela época. A praia é uma parada obrigatória de Floripa, seja pelo surf, pela natureza com uma paisagem alucinante ao redor, ou até pelas dunas nos entornos onde os turistas podem praticar o famoso sandboard (confira as dicas no final da matéria). Enfim, a praia é um beach-break com fundo de areia que favorece as esquerdas que vem da pedra (canto esquerdo da praia) até o meio, com muita força e sessões de tubos. Funciona melhor com swells de sul e leste e vento terral de noroeste. É um dos picos mais consistentes da ilha, com ondas de até 3 metros nos dias de ressaca. Contém localismo e o crowd sempre está presente por lá. Apesar do canal no canto da praia, nos dias grandes é BEM chato de entrar, muita corrente e onda na cabeça. Na trip, pegamos um mar de 2m com período curto e séries quebrando atrás da pedra. Cada onda surfada (ou errada) íamos parar no meio da praia e tínhamos que entrar novamente. Alguns locais entravam pulando pelas pedras no canto esquerdo, mas para quem não conhece, não é aconselhável, ao menos que esteja com um local que conheça bem o pico.


2. Surf - Praia Mole

A Praia Mole é um pico de surf muito constante, diria até que é o mais frequente da ilha, talvez por isso seja um dos mais famosos, com suas ondas perfeitas, longas e tubulares que abrem para os dois lados nos dias bons. Funciona melhor com swells de sul e leste e terral do quadrante norte, tem boas valas espalhadas no meio da praia (mais cavadas e tubulares) e os cantos funcionando bem para um bom surf de linha, as vezes conectando à uma sessão tubular. Durante a trip, surfamos condições épicas na Praia Mole, com ALTAS ondas e também um crowd chato, mas que dava pra aproveitar muito bem. Se liga no vídeo ao lado do filmmaker Douglas Cominski dos dias que estávamos por lá.


3. Surf - Praia da Galheta

A Praia da Galheta fica à esquerda da Praia Mole, com acesso à uma pequena trilha de 10 minutos a partir do canto esquerdo da praia. Mais um pico muito constante e com altas ondas e sem crowd, apesar da proximidade com a Praia Mole, tem muito menos estrutura por estar numa reserva ecológica. Há presença do movimento naturista, logo, há muitas pessoas nuas. Durante a trip não vimos nenhuma, mas encontramos ALTAS ondas de 1,5m rolando, mas NINGUÉM na água. quando o vento ficou "ladal" na Mole, ele estava terral no meio/canto esquerdo da Galheta, e tinham uns tubos animais e longos abrindo. O problema foi, que haviam alguns pescadores na areia (5 no máximo) e no caminho da trilha nos informaram que estava proibido o surf por causa da pesca (absurdo, praia com tamanha faixa de areia fechada para 5 pescadores num mar de quase 6 pés). Enfim, a praia funciona em 3 spots diferentes: no lado direito da praia, com direitas nos swells de sul, sudeste e leste e ventos de norte e nordeste; o meio da praia, com direitas e esquerdas parecidas com as ondas que rolam no meio da Praia Mole; e o canto esquerdo, mais ao norte (mais 15 minutos de caminhada), com longas esquerdas mais tubulares que funcionam com swell de leste e vento de nordeste. Se liga ao lado na imagem feita pelo fotógrafo local Claudio Medeiros, como estava o mar por lá no dia que fomos barrados do surf por lá.


4. Surf - Praia da Barra da Lagoa

A Barra da Lagoa é o canto direito da praia de Moçambique e fica há cerca de 10 minutos de carro da Praia Mole (sem trânsito, claro). As ondas geralmente não são grandes – em torno de 0,5 a 1 metro e são um pouco cheias, por isso é indicada para os iniciantes. O melhor swell para essa onda é o de leste, pois faz ela abrir uma direita do canto para o meio da praia. O lado positivo da praia é que ela é protegida pela pedra do vento de sul, se tornando uma opção no leste da ilha quando esse soprar e estragar o surf nas demais praias. Já os ventos oeste e sudoeste são terrais por lá. A região é a maior comunidade pesqueira da cidade e possui uma série de bons restaurantes ao redor. É bastante recomendável aquela sessão de surf, curtindo o visual da natureza emendando com um almoço ou um petisco pós surf no fim de tarde. Em todas as trips que fui para Floripa, a praia era uma ótima saída para os dias grandes e balançados, quando o mar sobe e venta forte de sul no leste da ilha. Direitas longas e boas funcionando, mas com um crowd absurdo, por se a única funcionando. De qualquer forma, vale a pena conhecer!


5. Surf - Praia de Moçambique

A única praia do lesta da ilha que não surfamos nessa trip, mas que tem uma vibe animal e vale muito conhecer, ainda mais para quem gosta de surfar sozinho, numa vibe menos urbana e mais natureza. A Praia de Moçambique é a maior da ilha de Florianópolis com 12,5 km de extensão. Existem 12 pontos de acesso a praia e o mais indicado fica no canto esquerdo, conhecido como ponta das aranhas onde forma uma esquerda poderosa com um muro bastante contínuo. As ondas são perfeitas e tubulares por lá e quebram tanto para a direita como para a esquerda com valas espalhadas ao longo da praia e funcionam bem com quase qualquer swell, principalmente sul, leste e sudeste e ventos terrais noroeste e oeste, principalmente. As ondas podem chegar a 3 metros nos dias de maior ressaca desse beach-break com fundo de areia, o único problema é você chegar no outside, já que não tem canais para varar a arrebentação, ou seja, haja braço!


Surf nas praias da Região Sul de Florianópolis

Fotos: Douglas Cominski / Guilherme Lopes / Raissa Menezes

O Sul da Ilha é uma região um pouco menos turística que as demais, mas conta com diversas boas opções pro surf, principalmente porque suas praias recebem bem quase todo tamanho de ondulação e sempre tem pra onde fugir quando entra aquele vento maral no pico. A praia do Campeche certamente é a mais famosa quando falamos na região sul de Florianópolis, tanto pelo surf como pela beleza da praia (e das pessoas que frequentam). O legal é que na região você consegue se hospedar com pouco custo bem próximo a praia, o que é uma vibe animal! Além do surf, no Sul da ilha você encontra trilhas iradas que podem ser feitas pra quem tem disposição! A da Lagoinha do Leste é uma intermediária e a mais famosa, mas a trilha do Saquinho (soft) e de Naufragados (hardcore) são outras bem conhecidas na região! Vale visitar também os restaurantes da região "açoriana" (Açores e Ribeirão da Ilha), onde você vai comer os melhores peixes da vida (moquecas, tainha, e as famosas ostras se destacam). Vamos então as dicas de surf dos picos da região sul da ilha:


1. Surf - Praia do Campeche

Apelidada pelos locais de Campeche Bay (referência à Jeffreys Bay, praia com longas direita na África), a Praia do Campeche é com certeza o pico de surf mais famoso do sul da ilha. Ele não funciona clássico com tanta frequência, tendo ondas constantes de 0,5m a 1m com formação regular e que da pra se divertir com o surf, sendo até boa para iniciantes ao longo da praia em algumas valas.. Mas o bicho pega mesmo quando um grande swell de sul e vento noroeste… corre para lá que vão rolar as melhores direitas tubulares da sua vida que, além de fortes e rápidas, terão paredes muito longas de até 2,5m, permitindo uma série incontável de manobras com ondas de mais de 1 minuto, haja perna! A questão é que todo mundo sabe disso, então quando C-BAY ta online fica um crowd chato e rola um certo localismo no pico, principalmente em frente à Ilha do Campeche, ponto principal onda quebra a famosa direita. Nessa trip, tinham altas valinhas funcionando com 1m de onda, mas a praia estava fechada devido à pesca da Tainha. Em outra oportunidade, surfei boas ondas por lá, mas não a tão famosa direita. Uma dica é alugar uma das mil casas que tem próximo a praia com um preço em conta, já fica na cara do gol pro surf matinal.


2. Surf - Praia do Morro das Pedras

A praia do Morro das Pedras é a continuidade da Praia de Campeche, mais ao sul e fica logo antes da praia do Caldeirão, antes das pedras. É um beach break com cara de point-break, pois as ondas começam a quebrar em frente à pedras, não tão perto da praia, como mostra a foto ao lado, por isso, não é recomendado para iniciantes. As ondas de até 2,5 metros quebram para a direita, principalmente e as melhores condições são de swells de leste e sul e ventos de noroeste. Às vezes as ondas fecham muito quando chegam perto da areia, portanto, cuidado. A praia é muito frequentada pelos moradores e guarda um certo localismo.


3. Surf - Praia da Armação/Caldeirão

A praia do Caldeirão, é o canto esquerdo da Praia da Armação. Logo que você acessa a orla, ao passar das pedras do canto direito do morro das pedras em, há um local com mirante para encostar o carro - utilizado para ver as baleias em determinadas épocas do ano - faz com que as vagas sejam limitadas. Nessa trip, surfei dois dias clássicos por lá, com esquerdas longas e tubos animais na maré seca, semelhantes às esquerdas Balineses. A imagem ao lado, é da gente caindo por lá, tirada pelo fotógrafo local do sul da ilha Guilherme Lopes. O pico do caldeirão, assim como da armação é um fundo de areia que não funciona com tanta frequência, funcionando melhor com swell de nordeste e vento sul/sudoeste, ou seja, mais uma boa opção pra quando o sul varrer as praias da região leste da ilha.. Diferente do Caldeirão, a Armação é uma onda um pouco mais cheia e que quando seca no inside fica bem em pé e rola até um tubo bem divertido. Não é uma onda difícil nos dias regulares, mas nos dias grandes e com correnteza tem que saber onde está pisando, assisti 5 candangos surfando por lá e tomando prejuízo. Quando surfei por lá, tinha 1 metro, e estava com um conhecido local e sem crowd, não é uma praia tão turística assim, mais frequentada pelos moradores da região.


4. Surf - Praia do Matadeiro