Teahupo'o épico: Após esperar 9h, surfista local pega uma das melhores ondas já surfadas no pico

O swell de "sexta-feira 13" chamou atenção por boas ondas gigantes - além wipeouts assutadores - e é um dos maiores a atingir o coral desde 2011. O surfista local de apenas 23 anos, Matt Drollet , foi puxado pelo seu irmão no diamante do dia, após esperar pacientemente por 9h no pico.

Surfista: Matt Drollet / Foto: Tim McKenna

Quanto tempo você consegue esperar uma série para pegar a onda boa do dia quando está surfando? Que tal uma espera de 9h na água em um dia ÉPICO no seu quintal de casa?


O surfista de apenas 23 anos, Matt Drollet, local de Teahupo'o, surfou uma das melhores ondas da session do último swell das bombas do Tahiti, na sexta-feira, 13 de agosto, após esperar pacientemente 9 horas até surfar a sua primeira onda do dia. O surfista foi um dos primeiros a chegar no pico e foi puxado na onda pelo seu irmão mais velho, Manoa. E que onda, ein?


A onda de Matt aconteceu por volta das 17h, no horário local, pouco antes do pôr-do-sol. Matt foi colocado na onda pelo irmão e fez uma linha perfeita em uma onda histórica, que está sendo considerada uma das maiores ondas já surfadas (bem de forma bem sucedida) por um surfista em Teahupo'o. Matt e Manoa são locais dos tubos de Teahupo'o, Manoa sendo um dos primeiros surfistas a surfar de fato as ondas, há mais de uma década.



O swell que chamou atenção por boas ondas - e também wipeouts assutadores - é um dos maiores a atingir o coral desde 2011. Outros nomes do surf de ondas grandes estiveram presentes na sessão, como o brasileiro Lucas Chumbo, a francesa Justine DuPont, o marroquino Ramzi Boukhiam e o francês, de apenas 19 anos, Kauli Vaast, que também desceu uma das maiores do dia, mas não chegou a completar a onda.


Lembrando que o swell atingiu o Tahiti logo depois da etapa de Teahupo'o do tour mundial 2021 ser cancelada, após o governo francês anunciar que as fronteiras da Polinésia Francesa seriam fechadas. O motivo foi o aumento do número de casos de COVID e a chegada da variante Delta da doença no território.