• Fernanda Bahia

Surfista Carioca leva mordida de tubarão enquanto surfava em Fernando de Noronha

O surfista carioca, Sergio Noronha, passou por um susto na última quarta-feira, 13 de janeiro, enquanto surfava em Cacimba do Padre, Fernando de Noronha.

Praia de Cacimba do Padre
Praia de Cacimba do Padre | Foto: Reprodução G1

O homem, de 52 anos, sofreu um corte na mão, e precisou levar 32 pontos, por conta da mordida do tubarão. Os ferimentos não foram graves e o surfista já levou alta do hospital São Lucas, localizado na ilha. O ex-surfista profissional conta que quando aconteceu o encontro com o animal, ele estava voltando de uma onda da série que tinha surfado.

Em um relato ao Canal Surf Storm, Sérgio contou o que aconteceu:

"Eu tinha surfado uma onda, e estava voltando da série, bem na beira, mais buraco, na Cacimba ali, o mar devia ter 1,5m a 2m. Eu furei a primeira onda, e na segunda eu senti o cardume batendo no meu braço e logo em seguida já senti a mordida com pressão muito grande. Eu já sabia que era um tubarão e graças a deus tive a consciência de não puxar o braço na hora."

Sergio ainda contou que esta foi a sua terceira vez na ilha, mas a primeira vez em janeiro, a qual é época de acasalamento dos tubarões e quando há uma maior presença deles na ilha, principalmente mais próximo à costa. O fato também aconteceu no fim de tarde, que é, assim como o inicio da manhã, normalmente, o horário em que os tubarões estão se alimentando.

"Eu acho que uma das possíveis medidas que poderiam ser tomadas para minimizar esse tipo de incidente, é a presença de placas, alertando sobre o perigo principalmente nesses horários da manhã e do final da tarde, além da presença de guarda-vidas ou alguma estrutura mínima de apoio local, já que no meu caso tive de ser socorrido e carregado de buggy por um amigo." - alertou Sérgio que vem se recuperando bem e já viajou de volta para o Rio de Janeiro.

Um caso semelhante aconteceu no ano passado, em Março, na praia do Bode, com a surfista de bodyboard, Bruna Cercal. O caso de Sergio aconteceu menos de um mês depois de um outro, também em Fernando de Noronha, na praia da Conceição, no dia 18 de dezembro. Em ambos os casos, o especialista em tubarões, Léo Veras, procurado pelo G1, identificou o animal como um tubarão limão, animal comum na região.

A impressão é que nos últimos anos os incidentes envolvendo surfistas e tubarões têm aumentado, principalmente na região Nordeste, onde os animais sempre foram mais comuns. O Canal Surf Storm procurou o Engenheiro de Pesca e doutor em recursos pesqueiros, Jonas Rodrigues, para confirmar essa teoria.


Segundo Jonas, "os incidentes entre tubarões e surfistas no Brasil realmente aumentaram", especificamente em Recife e adjacências, e no arquipélago de Fernando de Noronha. Ele ainda acrescentou que "como em Recife há a proibição do surfe, os casos ocorridos têm sido em Noronha".


Para evitar esses incidentes, o ideal é saber o que têm causado tantos ataques do animal, e o engenheiro explicou: "A causa dos incidentes é, sobretudo, o fato de o homem estar próximo ao animal, que por sua vez, confunde o ser humano com uma presa do hábito alimentar, fazendo uma investida na vítima". Jonas ainda deu as instruções de como evitar esses casos:

"O respeito ao ambiente e uma prévia avaliação de presença de animais na área, pelos horários quando eles estão presentes, por exemplo, deve ser considerado e cumprido. Uma busca de informações sobre a ocorrência de incidentes na área que será utilizada para o surfe é importante."

E caso o encontro com o animal acabe ocorrendo, o ideal, segundo Jonas, é sair de perto, e nunca assumir que nada vai acontecer, já que o mar é o habitat natural do tubarão, e não nosso.


É importante o respeito.

858 visualizações